Rascunho de Einstein sobre Teoria da Relatividade é vendido por R$ 72 mi

Um dos rascunhos manuscritos da Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein foi leiloado nesta terça-feira, 23, por 11,6 milhões de euros (cerca de 13 milhões de dólares), em Paris, constatou a AFP.

Anteriormente tinham sido pagos 2,8 milhões de dólares em 2018 por uma carta manuscrita deste eminente cientista, na qual teorizava sobre Deus, e em 2017 foi desembolsado 1,56 milhão de dólares por outra carta na qual elucubrava sobre a felicidade.

O mundo segue mudando. Siga em evolução com a EXAME Academy

O documento leiloado nesta terça-feira estava avaliado entre 2 milhões e 3 milhões de euros. Ao contrário das duas cartas precedentes, trata-se de um valioso trabalho científico.

“Trata-se, sem dúvida alguma, do manuscrito de Einstein mais estimado já posto em leilão”, havia informado anteriormente a casa de leilões Christie’s em um comunicado.

Albert EinsteinUniversal History Archive/Colaborador/Getty Images

O manuscrito de 54 páginas foi redigido em 1913 e 1914, em Zurique (Suíça), pelo famoso físico alemão e seu colaborador e confidente, Michele Besso.

É graças a este engenheiro suíço, explicou a Christie’s, que “o manuscrito chegou, quase que milagrosamente, até nós: Einstein provavelmente não teria se preocupado em conservar o que podia lhe parecer como um documento de trabalho”.

Após sua Teoria da Relatividade especial, que o levou a demonstrar em 1905 a fórmula “E=mc²”, Einstein começou a trabalhar, em 1912, em uma Teoria da Relatividade Geral.

Esta teoria da gravitação, publicada finalmente em novembro de 1915, revolucionou a compreensão do universo. Einstein morreu em 1955 aos 76 anos e se tornou um símbolo da genialidade científica, bem como uma personalidade pop, com a famosa foto de 1951 em que aparece com a língua para fora.

No começo de 1913, tanto Einstein quanto Besso “começaram a trabalhar em um dos problemas com os quais a comunidade científica levava décadas se confrontando: a anomalia da órbita do planeta Mercúrio”, lembrou a Christie’s. Os dois cientistas solucionaram este enigma.

Mas não o fizeram nos cálculos deste manuscrito, que incluem “vários erros que passaram despercebidos”. Quando Einstein os detectou, deixou de se preocupar com o manuscrito, que ficou nas mãos de Michele Besso.

“Os documentos manuscritos científicos de Einstein desse período, e mais geralmente, de antes de 1919, são extremamente raros”, destacou a casa de leilões.

“Como um dos dois únicos manuscritos de trabalho preservados e que documentam a gênese da Teoria da Relatividade Geral, é um registro extraordinário do trabalho de Einstein e proporciona uma visão fascinante da mente do maior cientista do século 20”, acrescentou.

O que dizem as últimas pesquisas científicas mais importantes? Descubra assinando a EXAME.

Rascunho de Einstein sobre Teoria da Relatividade é vendido por R$ 72 mi
Rolar para o topo