Governo quer leiloar aeroportos de Congonhas e Santos Dumont até abril

O governo resolveu pisar no acelerador do processo de privatização das duas “joias da coroa” entre os aeroportos: Santos Dumont, no Rio, e Congonhas, em São Paulo.

Os dois aeroportos, considerados as “joias da coroa” entre os terminais ainda sob administração da estatal Infraero, são os mais movimentados e rentáveis do país e sempre foram cobiçados pela iniciativa privada.

O edital da 7ª rodada de licitações de aeroportos deve ser apresentado na terça-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)com Santos Dumont e Congonhas liderando dois dos três blocos de terminais cujas concessões serão leiloadas.

O governo quer realizar o leilão já em abril de 2022 e não em maio ou junho, como previsto anteriormente.

As empresas que levarem os dois blocos terão que se comprometer com uma série de investimentos estimados em quase R$ 7 bilhões durante os contratos, que serão de 30 anos.

Mas, com menos tempo para a análise das condições e as incertezas políticas e econômicas, consultores do setor avaliam que será mais difícil atrair investidores, principalmente estrangeiros. Entenda aqui por que os planos do governo podem ser prejudicados pela atual conjuntura.

Governo quer leiloar aeroportos de Congonhas e Santos Dumont até abril
Rolar para o topo